Thursday, July 4

Homogeneização de campo

Nas dinâmicas relacionais, nos processos perceptivos, inúmeros conflitos, diversas posições, significados contraditórios quando não percebidos em suas especificidades, podem ser traduzidos como dificuldades e transtornos psicológicos, tumultos sociais etc criando assim, homogeneizações parcializantes e responsáveis por tipificações de normalidade ou anormalidade.

O desenrolar de situações, suas dinâmicas, podem possibilitar percepções que apreendem o que está acontecendo ou podem estabelecer homogeneizações onde toda diferenciação é resumida em significados iguais. Isto acontece por exemplo, quando por causa do pai alcoolista, todos os transtornos familiares são por isto explicados; esta homogeneização impede diferenciações das variáveis envolvidas nas constelações familiares. Da mesma forma quando episódios de violência ou de manipulação em movimentos de massa são destacados para justificaticar ações repressoras ou respostas pontualizadas, os questionamentos centrais são dispersados. Buscar o prepoderante, o mais pregnante como explicação é um causalismo homogeneizador.

Impactos, sustos e surpresas (perdas, luto, separações etc), tanto quanto monotonia, repetições são também responsáveis pela configuração de campos homogeneizados. Superposição de significados parcializam o ocorrido ou podem descaracterizá-lo. Querer saber se o que acontece resulta de outras configurações, é um fator homogeneizador. Não identificando as diversas variáveis configuradoras da totalidade, surgem parcializações.

Quando as contradições são neutralizadas, as motivações comportamentais são dispersadas e instalam-se as condições propícias às homogeneizações perceptivas; o indivíduo paralisa-se em expectativas por exemplo, que nada mais são que aspirações e esperas sem vivenciar contradições, vivenciando apenas demandas e frustrações, busca de sucesso e evitação de fracasso. Vivendo para os esforços, voltado para o futuro, cheio de metas - desejos além de sua estrutura de vida - sobrevive adequando-se ao que não o amedronta, submetendo-se ao que o domina, perdendo lucidez, motivação e determinação. São situações não configuradas, homogeneizadas, onde a percepção não é diferenciada, determinando assim explicações mágicas, arbitrárias, alheias ao que ocorre. Empenhar-se na criação de justificativas, por exemplo, é uma maneira de transformar os problemas, as questões contraditórias, em regras, protocolos e procedimentos de atuação. É frequente a preocupação dos pais com as más companhias que "estragam seus filhos"; "tudo ia muito bem, até que apareceu alguém que o levou para o precipício", dizem aflitos. Não conseguindo categorizar as situações específicas que se desenrolam à volta, resumem tudo como influências perniciosas. Percebem e agem sem questionamentos, consequentemente, cheios de certezas proverbiais.

Deste modo, tudo é igual, não existe variação. Igualar para submeter é uma das resultantes gerada pela dispersão, pelo deslocamento. A homogeneização de campo, como dizia Kurt Lewin, faz com que o indivíduo não se motive, tudo é branco, tudo é preto, nada desperta sua curiosidade, não há sinalização.















- "O Olhar Distanciado" de Claude Lévi-Strauss
- "Teoria de Campo em Ciência Social" de Kurt Lewin



verafelicidade@gmail.com

5 comments:

  1. Vera, seu texto me remete a percepções minhas de quando se acusam traficantes e bandidos de todos os tipos, pessoas que se prostituem, etc. sem questionar a sociedade na qual esses surgem ou são gerados. Não se observam as contradições do sistema e muitas vezes esses "disfuncionais" são dados como causas dos males do mundo. No âmbito individual e familiar, você usou a expressão constelações familiares, que imagino não tenha a ver com o tipo de atividade proposto por Bert Hellinger para 'ajudar' as pessoas a entender e até transformar suas relações com os outros. Abraço,
    Augusto

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Augusto,

      O exemplo dado por você não é homogeneização de campo ("traficantes e bandidos de todos os tipos, pessoas que se prostituem, etc sem questionar a sociedade na qual esses surgem ou são gerados"), a questão destas supostas vítimas sociais explicadas como resultantes das contradições dos sistemas é que é homogeneização, pois que reduz tudo a questões socio-econômica e políticas sociais.

      É a relação indivíduo-sociedade, homem-mundo enquanto estruturante de aceitação ou não aceitação, o definidor de limites, submissões e ultrapassagens. Como você imaginou, não usei 'constelação familiar' no sentido de Hellinger e sim como conjunto de membros da família.

      Abraço, Vera

      Delete
  2. Sim Vera,
    Na ral foi isso que eu quis dizer, você esclareceu.
    Abraço,

    ReplyDelete
  3. Oi Vera,
    Gostei muito do tema.Situações vivenciadas por mim; seja nas atitudes familiares semelhantes as descritas, como nas minhas proprias, criando justificativas para escapar dos problemas,etc.A leitura proporcionou entender melhor a questão e reafirmar a importãncia,para mim, dos seus questionamentos terap˜euticos, que não igualam nem submetem.Por outro lado, ainda proporciona um melhor entendimento do que acontece no momento no País.
    bjos, Ana Cristina

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Ana Cristina, seu comentário é muito ilustrativo. Beijos, Vera

      Delete