Thursday, September 12

A psicoterapia dinamiza, a problemática imobiliza

O questionamento é a alavanca, o combustível que permite continuar a trajetória humanizada, a dinâmica de ser no mundo.

Posicionado e imobilizado, cercado e identificado pelas próprias dificuldades e problemas, o indivíduo colapsa, perde dinâmica. Toda sua movimentação é na construção de máscaras, pontes e artefatos para atingir soluções e assim se dividindo, se fragmentando. O outro, enquanto terapeuta, através do diálogo, ao globalizar os pontos de fragmentação, os núcleos de não aceitação, possibilita que o indivíduo tenha novas percepções acerca dele próprio. É um momento de dinâmica que altera a imobilidade do ajuste/desajuste gerado pela problemática, pela não aceitação e sintomas. Quanto mais questionamento, mais mudança; quanto mais busca de solução dos problemas mais desgaste, mais deslocamento, mais metas e desejos de resultados saitsfatórios, consequentemente de ansiedade.

No posicionamento imobilizador gerado pela problemática, a ansiedade é uma constante. Tentativas de correr de um lado para outro, imobilizado pela amarração aprisionante, criam a ilusão de movimento e dinâmica, através da ansiedade gerada como residuo; quando transformada em situação nova e independente a ansiedade se transforma na ilusão criadora de vício, hábitos que a arrefece. Um destes aspectos é o conhecido prazer de ir às compras, ou as masturbações assíduas ou os diversos vícios como alcoolismo, redes sociais, jogos etc. A ansiedade cria demandas, como se fossem ilusões ópticas, que parecem comportamentos obsessivos e descontrolados: a ilusão de movimento obriga a busca de freios, de paradas. Nada dinamiza, tudo imobiliza. Quanto mais bebe, menos sente que bebeu, quanto mais busca o prazer sexual, menos goza, enfim, quanto mais se move, mais parado está.

A imobilização criada pelos posicionamentos problemáticos e deslocada pela ansiedade aniquiladora, só pode ser interrompida pela dinamização psicoterápica. Outras dinâmicas às vezes aparecem, mas como não globalizam o que tem que ser dinamizado, são esgotadas, extenuadas, gerando mais fragmentação, mais posicionamento. Apenas a dinamização do questionamento permite a unificação, a aceitação e transformação dos problemas.














- "Mudança e Psicoterapia Gestaltista" de Vera Felicidade de Almeida Campos
- "Acerca do Infinito, do Universo e dos Mundos" de Giordano Bruno

verafelicidade@gmail.com

No comments:

Post a Comment