Thursday, March 31

Artefatos

Transformado em objeto, em coisa alienada em função de demandas, medos e desejos de terceiros (principalmente os estruturantes relacionais, via de regra os pais) o indivíduo é transformado em receptáculo de valores, regras e ensinamentos de como bem sobreviver. Esta caixa (de ressonância) recebe muitas coletas e depósitos, mas, a necessidade de matéria prima para compor representatividade e não fazer com que os outros fujam diante dos massacres sobre si estampados, obriga a buscar máscaras, véus, coberturas que disfarcem.

Apesar de massacrados pelo processo de coisificação, desumanizados e alienados de si mesmos (não há questionamento), onde só a necessidade satisfeita significa prazer e tranquilidade, o ser humano permanece uma possibilidade, uma abertura para transformar. Sua estrutura humana enseja isto, mas, sem dados relacionais, seu posicionamento situacional sobrevivente cria limite sinalizador do que vai permitir ganhos, do que vai permitir se dar bem ou não, ser aceito ou desconsiderado e assim, dentro destes parâmetros, ele finge, se mascara, utiliza imagens para atingir o lado onde vislumbra o necessário para sua sobrevivência.

Artefatos são criados, valores exibidos, tudo é orientado para inspirar confiança, cuidado ou proteção. Usurpadores, vítimas e representantes do bem são forjados para, assim, realizarem suas coletas de bens, de poder e matéria prima necessária à sobrevivência e riqueza. E assim existem desde o conhecido “lobo com pele de cordeiro”, até alguns cuidadores da vida, médicos que trabalham contabilizando fundamentalmente o aumento de seus haveres, de suas contas bancárias e capitais de poder.

Criar máscaras é fabricar mentiras, é criar ilusão. São despistes que servem apenas para que os indivíduos consigam realizar seus propósitos de ser bem considerados para atingir o que pretendem. Na política, toda corrupção e demagogia nos mostra quão maléfico é conviver com estes títeres. Na esfera familiar, na esfera afetiva é muito doloroso ser usado por pais e mães para seus propósitos mesquinhos, embrutecedores e destruidores.


verafelicidade@gmail.com 

No comments:

Post a Comment