Generosidade

Generosidade só é possível quando existe disponibilidade, entretanto, na contemporaneidade, generosidade vira uma regra, uma atitude civilizada e consequentemente, útil ao ser praticada.

Ser generoso é propiciar, dar, possibilitar bens, acessos ou gentilezas ao outro. Só se pode fazer isto quando se é espontâneo, quando se é disponível, caso contrário é uma regra, um investimento socialmente validado. Generosidade é uma decorrência de disponibilidade ou de uma regra adequadamente exercida em função de recomendação social. Sendo regra é esvaziada, gera apenas comportamento imitativo. Somente como decorrência de disponibilidade é que se pode exercer generosidade.

A gratidão, o ser grato é outra armadilha, é também uma maneira de distorcer o que é generosidade enquanto disponibilidade. Para haver generosidade é fundamental estar disponível para que não se transforme em investimento, em vivência resultante da percepção do outro, de suas dificuldades e acertos.

Ser generoso, ser grato nem sempre decorre de vivências disponíveis, às vezes generosidade e gratidão são respostas a compromissos e aceitações onde sequer outras possibilidades são colocadas.


Comments

Os mais lidos

Oprimidos e submissos

Sonho e mentiras

Mistério e obviedade

A ignorância é um sistema

Misantropo

“É milagre ou ciência?”

O diálogo nos conecta tanto quanto nos distancia

Aplacamento - reificação ad infinitum

Avatar

Trocas e recriações