Thursday, September 20

Igualdade e diferença

O igual é o diferente. Falar de igualdade ou de diferença pressupõe um terceiro ponto de comparação. Ser igual a A é ser diferente de não-A. Cachorros semelhantes entre si, por exemplo (são todos cachorros), são diferentes enquanto eles próprios (indivíduos).

Da mesma forma, a continuidade mantém igualdade ao estruturar as diferenças. Heráclito dizia que as águas do rio onde o homem se banha nunca são as mesmas, "não se pode entrar duas vezes no mesmo rio". O rio é contínuo, passa, o imerso  não continua ou ainda a água que passa pelo calcanhar é outra diferente da que passa pelos dedos dos pés.

Continuar e permanecer são também paradoxos contidos nestas afirmações resultantes de contextos estruturantes não explicitados.

Só pode continuar o que permanece, tanto quanto a divisão traz em si sua unificação. O que divide é o mesmo que unifica. Polaridades sempre traduzem unidades se globalizados seus contextos estruturantes. Perceber o diferente como o igual é um dos grandes momentos geradores de tranquilidade, de abolição de antagonismos e divergências. Ver isto é integrar o excluido - o diferente - ao perceber que todos somos seres, por exemplo.

A criação de parâmetros, de regras, estabelece diferenças ou semelhanças hauridas de situações alheias ao que existe. A comparação é sempre resultante de outros contextos. Por utilidade, por vantagem, são criadas categorias, tipificações. Igualdade e diferença podem originar idéias de superior e inferior, melhor e pior e assim são extintos animais, destruidas culturas e nações são subjugadas.

Somos todos seres vivos iguais como tais e diferentes enquanto estruturas individualizadas.


"Quando fui outro", de Fernando Pessoa

verafelicidade@gmail.com 

2 comments:

  1. Nada Tudo, Marisa Monte
    Nada, nada, nada
    Tudo, tudo, tudo
    Nada e tudo, eu não sei mais
    O que não é inteiro
    Nosso mundo vai - de alma
    Com o pé na terra
    E no escuro se vê
    Já se vê
    É o tempo do muito, do tanto
    Que eu vejo - a nossa semelhança
    E todo o toque - já é novidade
    Juntos a um passo do distante
    A nossa diferença nos faz
    Iguais ao sabor
    Desse sal, doce sal
    Que tempera a nossa cidade
    Nossa luz, sal do céu
    Nos olha e mira, atira
    Dispara e se espalha em som

    ReplyDelete
  2. Oi Augusto, uma bela música! Maneira poética de falar da questão.

    Abraço

    ReplyDelete