Insistência




Insistência depende do empenho, dedicação, esperança, tanto quanto da obstinação, teimosia, autorreferenciamento.

Querer por querer, lutar até o fim, insistir, não desistir nunca, caracterizam a obstinação, o teimar em função de metas e desejos. Essa atitude reduz as vivências a propósitos e isola o indivíduo, que assim age, de seus pares, de sua realidade. É um dos aspectos de pontualização de existência e negação do presente.

Entretanto, certas situações abrem clarões de esperança, ampliam horizontes e fazem perceber que as situações não estão perdidas, podem ser transformadas, recuperadas. São clássicos os comportamentos amorosos quando se salva alguém que já se considerava morto, por exemplo, ou ainda o que frequentemente acontece nas recuperações de drogados, deprimidos e de socialmente ilhados. Abrigar, ajudar, dialogar pode ser uma forma de insistir, de recuperar e retraçar caminhos. A tão conhecida segunda chance, é, às vezes, uma insistência benéfica e reveladora de possibilidades.

Insistência no que se necessita é redutor, cria metas, aumenta o autorreferenciamento. Insistência nas possibilidades configuradoras é ampliador, aumenta as contradições e possibilita insights libertadores e desse modo relacionamentos mudam, carreiras profissionais se transformam e se realizam, recursos escondidos de dedicação e liberdade aparecem, ressurgem.

Comentários

Os mais lidos

Oprimidos e submissos

Sonho e mentiras

Zeitgeist ou espírito da época

Mistério e obviedade

Misantropo

A ignorância é um sistema

“É milagre ou ciência?”

A possibilidade de transformação é intrínseca às contradições processuais

O diálogo nos conecta tanto quanto nos distancia

Aplacamento - reificação ad infinitum